HOMENAGENS E GRANDES SHOWS EM AGOSTO

HOMENAGENS E GRANDES SHOWS EM AGOSTO NO TEATRO RIVAL PETROBRAS 

Ivan Lins, Fabiana Cozza, Rita Benneditto e Mônica Salmaso estão entre as atrações 

A renovada parceria do Teatro Rival com a Petrobras fortalece a cultura carioca e possibilita uma programação mensal com espetáculos para todos os gostos. E o mês de agosto vai ser assim mesmo: agradando todo tipo de público, com homenagens a grandes nomes da música brasileira, atrações internacionais e shows especiais de artistas renomados no Teatro Rival Petrobras. Além de tributos aos mestres Martinho da Vila, Dalva de Oliveira, Délcio Carvalho, Dorival Caymmi e Wilson Batista – este homenageado pela maravilhosa Mônica Salmaso –, o Rival vai receber projetos inéditos, como o de Ivan Lins com Gilson Peranzzetta, e espetáculos consagrados como o “Tecnomacumba”, da cantora Rita Benneditto, aplaudidíssimo durante 15 anos.

Agosto começa com uma reverência oportuna e genuína. A cantora Fabiana Cozza viveu Dona Ivone Lara no teatro e é nos palcos que ela segue cantando as músicas da dica do samba. A paulistana apresenta no Teatro Rival Petrobras seu show em homenagem a sambista no dia 02 de agosto, quinta. O espetáculo no formato voz e violão, revisita o rico universo da compositora carioca que morreu no 16 de abril deste ano. Ao lado do violonista Alessandro Penezzi, ela surpreende em versões acústicas de clássicos como Enredo do Meu Samba.

 

Já no dia 3, Raoni e Dandara Ventapane homenageiam o avô Martinho da Vila no show “Canta, canta, minha gente”, abrindo os trabalhos comemorativos aos 80 anos do craque do nosso samba. O espetáculo apresentado em abril volta a pedidos do público, trazendo sucessos de Martinho como “Disritmia”, “Ex-amor”, “Casa de bamba”, “Madalena”, “Canta, canta, minha gente”, “Meu laiá-raiá”, “Tom maior” e o mais recente “O amor da gente”. A direção artística do show fica por conta de Analimar Ventapane – mãe de Dandara e Raoni – e Martinho Filho, ambos filhos de Martinho com vasta experiência e atuação no mercado musical.

No dia seguinte, uma atração internacional promete sacudir o Teatro Rival Petrobras. É uma das drag queens mais famosas do mundo, Adore Delano, nome artístico do ex-American Idol Danny Noriega, que ficou mundialmente conhecida ao participar da sexta temporada do programa, em 2008, e do reality show fenômeno RuPaul’s Drag Race em 2014, em que chegou até a final, alcançando o TOP 3. O primeiro álbum de estúdio de Adore Delano, “Till Death Do Us Party”, emplacou o hit “I Adore You” e ocupou o terceiro lugar na lista da Billboard. É de Adore o título de drag queen com melhor desempenho nas paradas norte-americanas. O sucesso foi tão grande que foi convidada para participar da série de TV “Chasing Life”, do canal ABC, e protagonizou uma campanha televisiva para a multinacional Starbucks. Voz potente , timbre único, Adore Delano vem ao Brasil pela quarta, mas a primeira trazendo banda e fazendo show completo. A apresentação no Rival faz parte da turnê do mais recente álbum “Whatever”, lançado em agosto de 2017. Com shows esgotados nos EUA e na Europa, ela também vai passar por São Paulo e Porto Alegre.

Os 100 anos de Dalva de Oliveira serão comemorados no dia 5 com um espetáculo reverenciando a cantora que foi uma das maiores da “Era de Ouro do Rádio”.  O centenário da diva foi festejado ano passado com a gravação do álbum “Dalva de Oliveira – 100 anos ao vivo”, lançado pela gravadora Biscoito Fino, além de dois espetáculos anteriores, um no Rio e outro em São Paulo. No palco do Rival, estarão Simone Mazzer, Agnaldo Timóteo, Marcio Gomes e Eliana Pittman, relembrando canções marcantes do repertório de Dalva, como “Neste mesmo lugar”, “Segredo”, “Bandeira branca”, “Ave Maria do morro” e “Que será”.

“Deixa disso e vem sambar” é o CD do cantor e compositor Paulo Luiz e também um convite para o público do Teatro Rival Petrobras, onde ele se apresenta no dia 7. Cria do morro de São Carlos, Paulo Luiz começou a carreira aos 15 anos, como intérprete da escola de samba mirim Sementes da Estácio, que hoje se chama Nova Geração da Estácio. Também foi vocalista do grupo Um Jeito de Ser e tornou-se afilhado da Velha Guarda da Mangueira, com a qual se apresentou por todo o Brasil. Paulo Luiz lançou o CD “Deixa disso e vem sambar” no Japão, onde se apresentou, pela primeira vez, em 2007. Agora chegou a hora de mostrar o trabalho no Rio de Janeiro. Samba de primeira!

E o samba está muito presente na programação de agosto do Teatro Rival Petrobras. Um dos nomes em evidência no mundo do samba e do pagode, no momento, Diógenes Tiee, ou simplesmente Tiee, também vai voltar ao palco da casa graças ao sucesso do show em abril. O show dele é no dia 9 de agosto. Além de cantar, Tiee é compositor de sucessos como “Climatizar”, “O som do tambor” e “Casa azul”, hits na voz de Ferrugem, mas também tem canções gravadas por Arlindo Cruz, Péricles, Bom Gosto, Pixote, Thiaguinho e Belo. É show pra sambar do início ao fim!

Uma fusão de MPB com sons eletrônicos, pontos e rezas das religiões afro-brasileiras numa musicalidade ancestral dos tambores, dos terreiros de candomblé, centros de umbanda, batuques e xangôs espalhados pelo país. É essa combinação poderosa que vai invadir o Teatro Rival Petrobras no dia 10 de agosto, com o show “Tecnomacumba – 15 anos de festa e fé”, que a cantora Rita Benneditto leva de volta à casa onde o espetáculo faz sucesso desde 2003. O bem-sucedido projeto reflete a história recente do Brasil, reafirma sua identidade, dialoga com o cenário estético e político, e se mostra mais atual do que nunca!

Tom Jobim, Chico Buarque, Dorival Caymmi, Carlos Lyra, Vinicius de Moraes e tantos outros compositores fundamentais para a história da Música Popular Brasileira têm obras no repertório do show “Querelas brasileiras”, que o Quarteto em Cy apresenta no Teatro Rival Petrobras no dia 11 de agosto. São mais de cinco décadas de carreira para comemorar com clássicos do nosso cancioneiro. O Quarteto em Cy – hoje formado por Cyva, Cynara, Sonya e Corina, que ocupou o lugar de Cybele, quando ela morreu em 2014 – será acompanhado por Camila Dias no piano, João Cortez na bateria, João Faria no baixo e Chico Faria no violão, esses dois últimos filhos de Cynara com o saudoso Ruy Farias, que integrou o grupo MPB4.

As drag queens Karina Karão, Miami Pink, Ravena Creole, Samara Rios e Cloe Vadame sobrem ao palco do Teatro Rival Petrobras, no dia 15, dando início ao projeto mensal “Drag Star”. O espetáculo apresenta esquetes, números musicais, muita sátiras e humor, por vezes ácidos, sobre o cotidiano.

 

No dia 14, é a vez de render homenagens ao compositor Délcio Carvalho, que, apesar de ser mais conhecido por suas parcerias com Dona Ivone Lara, também compôs com vários outros artistas. Um deles foi Joca Perpignan, que lançou o CD “Rio alegre” com frutos dessa parceria. Este é o terceiro álbum solo de Joca Perpignan – os outros dois foram Entreventos (2006) e Manso Balanço (2013) – e o primeiro totalmente de samba. Joca é cantor e percussionista carioca, radicado em Israel, que, por isso, era chamado por Délcio de Ogã israelense. O novo trabalho já foi apresentado nos Estados Unidos e no Rival contará com as cantoras Áurea Martins e Thania Machado, que participaram da gravação do CD, do grupo Casuarina e da saxofonista e flautista Daniela Spielmann.

O dia 16 de agosto marca os dez anos de morte do cantor e compositor baiano Dorival Caymmi. Exatamente nesse dia, Gabrielzinho do Irajá homenageia o mestre no Teatro Rival Petrobras com um musical contando um pouco da história de Caymmi e cantando seus clássicos, como “O que é que a baiana tem?”, “Marina”, “A vizinha do lado”, “Vatapá”, “Só louco”, “Você já foi à Bahia” e “Sábado em Copacabana”. Com roteiro e direção de Marcos Salles, e direção musical e arranjos do violonista Márcio Ricardo, o musical “Gabrielzinho de Irajá canta Caymmi” tem como cenário uma vila de pescadores, de frente para o mar. Costurando as músicas de Caymmi, Gabrielzinho conversa com um velho pescador sobre a vida do mestre, desde seu nascimento, passando por sua chegada ao Rio de Janeiro, o sucesso na rádio e curiosas histórias de suas canções. Muitas dessas histórias que ele ouviu do próprio Caymmi. O show tem também a participação especial do capoeirista e escritor de cordel Victor Alvim, o Lobisomem, que joga capoeira e versa de improviso com Gabrielzinho.

E não são só os artistas brasileiros a serem homenageados na programação de agosto do Teatro Rival Petrobras! A banda Ummagumma The Brazilian Pink Floyd aterrissa com seu show cheio de efeitos visuais e recursos pirotécnicos para comemorar os 50 anos do Pink Floyd. Nos dias 17 e 18 de agosto, o grupo, nascido na cidade mineira de Três Pontas há 16 anos, revisita os sucessos da banda inglesa com o espetáculo “Through The Years” – Tour 2018”, que traz, no set list, todas as fases do grupo, com atenção especial a álbuns clássicos, como “The Wall”, “Wish You Were Here” e “The Dark Side Of The Moon”. A banda vai tocar desde o começo psicodélico e irreverente com Syd Barret, guitarrista e principal compositor da primeira fase, à entrada do guitarrista David Gilmour. A promessa da Ummagumma, uma das melhores bandas covers do Pink Floyd, é uma “experiência multissensorial” com repertório recheado de clássicos.

A beleza e poesia dos sambas-enredo pedem passagem! O show “Avenida Samba Canção”, ganhou edição especial no Teatro Rival Petrobras, no dia 22 de agosto. Idealizado pelo músico Igor Eça, o show apresenta sambas emblemáticos e inesquecíveis como “Das maravilhas do mar, fez-se o esplendor de uma noite” (Portela, 1981), “Sonhar não custa nada” (Mocidade, 1992), “Caymmi mostra ao mundo o que a Bahia e a Mangueira têm” (Mangueira, 1986) e “Domingo” (União da Ilha, 1977). Uma verdadeira exaltação à beleza dos sambas que marcaram antigos carnavais e, no espetáculo, ganham versões tocadas mais lentamente e com arranjos destacando as palavras, lançando luz na poesia das letras. “Avenida Samba Canção” conta com Mingo Araújo na percussão, Igor Eça no violão e a voz da Paula Santoro, aliados à sonoridade de uma minibateria de escola de samba, ressaltando as nuances musicais do gênero. Para completar, a participação especial do cantor Marcos Sacramento. Um luxo!

Conhecido nas rodas de samba cariocas, o grupo Intimistas é a atração do dia 23 de agosto no Teatro Rival Petrobras. Formado por Deivson Palitto (voz), Raphael Richaid (cavaco e voz), Bruno Carvalho (violão e vocal), Geovane Camillo (percussão), Júnior Souza (pandeiro e vocal) e Gustavo Farinha (tantã e vocal), o Intimistas tem composições próprias, mas o repertório dos shows é muito variado. Tem versões do pagode anos 1990, partido alto e clássicos da MPB, obras de artistas consagrados como Arlindo Cruz, Zeca Pagodinho, Djavan e Gonzaguinha, além de sucessos dos grupos Exaltasamba, Soweto, Arte Popular e Sensação.

O primeiro baile da Orquestra Tabajara em parceria com o Teatro Rival Petrobras, realizado em junho, foi um sucesso e vai ter bis. Símbolos de resistência cultural, orquestra e teatro comemoram a ótima estreia do projeto com outro baile, desta vez no dia 24 de agosto, com a participação especial do tradicional Bloco Cordão da Bola Preta. Ainda comemorando seu centenário, O Cordão da Bola Preta promete relembrar os maiores hits carnavalescos como as marchinhas “Quem não chora não mama”, “Cidade Maravilhosa” “Mamãe eu quero”, “A jardineira” e “Me dá um dinheiro aí”. É pura animação!

Os 50 anos de morte do cantor e compositor Wilson Batista vão ser lembrados pela cantora Mônica Salmaso num show inédito no Rio, no dia 25 de agosto. Wilson compôs vários sucessos para os carnavais das décadas de 1940 e 1950. Apesar de ter vendido muitos sambas para sobreviver, tem mais 500 obras catalogadas em seu nome. O repertório do show baseia-se na pesquisa feita por Cristina Buarque de Holanda e conta com músicas que marcaram a carreira de Wilson Batista, como “Mundo de zinco”, “Ganha-se pouco, mas é divertido”, “Acertei no milhar”, “Boca de siri” e “Lá vem a Mangueira”.

Amizade é mesmo algo para se comemorar. E é justamente o que vão fazer Ivan Lins e Gilson Peranzzetta com o show “Cumplicidade”, no Teatro Rival Petrobras, nos dias 29 e 30 de agosto. São 44 anos de amizade iluminando grandes sucessos de Ivan Lins – como “Madalena”, “Lembra de mim”, “Começar de novo”, “Vitoriosa” – e parcerias a exemplo de “Setembro”, que, na gravação de Quincy Jones, foi parar na trilha do filme “Os donos da rua” (no original, “Boyz’n the Hood”), de 1991, estrelado pelos astros hollywoodianos Cuba Gooding Jr. e Laurence Fishburn. Com Ivan Lins na voz e teclado, acompanhado pelo pianista e maestro Gilson Peranzzetta, no piano acústico e nos arranjos, as apresentações de agosto marcarão o lançamento do CD “Cumplicidade”. O álbum é bem no estilo “voz, teclado e piano”, intimista, apenas com os dois artistas, gravado em casa, sem roteiros e regras, somando seus talentos, aproveitando a cumplicidade de anos de trabalho juntos.

E o mês de agosto fecha com uma atração internacional: a banda inglesa Paradise Lost, que traz para o Teatro Rival Petrobras, no dia 31, a turnê do aclamado álbum “Medusa”, de 2017, o primeiro pelo selo alemão Nuclear Blast, especializado nas várias divisões do metal. Formada em 1988, Paradise Lost é considerada uma das mais importantes bandas do doom metal e criadora do gênero gothic metal. No início da carreira o Paradise Lost fazia um som mais extremo, mas, no fim da década de 1990, a banda abordou uma sonoridade mais comercial adicionando elementos de rock eletrônico, o que ajudou a crescer a sua popularidade.

Grandes shows, atrações internacionais, homenagens, baile, do samba ao rock, passando pela MPB. Definitivamente, agosto não é mês de desgosto. Pelo menos, não no Teatro Rival Petrobras!


Serviço

Teatro Rival Petrobras – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro. AGOSTO 2018. Ingressos antecipados (Eventim)http://bit.ly/Ingressos2z0P23j. Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 22h Censura: 18 anos (menores apenas acompanhados pelos pais). www.rivalpetrobras.com.br. Informações: (21) 2240-9796. Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia.

*Meia entrada: Estudante, Idosos, Professores da Rede Pública, Funcionários da Petrobras, Clientes com Cartão Petrobras e Assinantes O Globo